Proloterapia

A proloterapia tem sido usada na prática clínica há mais de 80 anos para tratar várias condições musculoesqueléticas crônicas.

É uma estratégia terapêutica prática e eficaz, cujo o interesse vem se intensificando nas últimas duas décadas entre médicos e pacientes, acompanhado por um número crescente de estudos publicados sobre resultados de tratamentos, que confirmam que a proloterapia é eficaz no tratamento de muitas condições com poucos efeitos adversos, dentre elas: Osteoartrose (OA), dores osteomusculares, dor articular e frouxidão ligamentar, dor lombar crônica, tendinopatias, dor lombar, dentre outras condições.

Imagem Proloterapia

A proloterapia é uma terapia regenerativa, em que, por injeções, introduz pequenas quantidades de uma solução irritante no local de inserções dolorosas e degeneradas de tendões (enteses), articulações, ligamentos e em espaços articulares adjacentes durante várias sessões de tratamento para promover o crescimento de células e tecidos normais.

O agente de proloterapia mais comumente usado na prática clínica é a dextrose, com concentrações variando de 12,5% a 25%. A dextrose é considerada um proliferante ideal porque é solúvel em água, um constituinte normal da química do sangue e pode ser injetada com segurança em várias áreas, além da segurança posológico. As soluções hipertônicas de dextrose atuam desidratando as células no local da injeção, levando a um trauma tecidual local, que por sua vez atrai granulócitos e macrófagos, promovendo a cicatrização.